Blog

Outubro Rosa e os cuidados sobre o câncer de mama

Outubro Rosa e os cuidados sobre o câncer de mama

Este mês é conhecido como “Outubro Rosa”, graças à campanha mundial de conscientização e prevenção ao câncer de mama, que tem o objetivo de ressaltar a importância do diagnóstico precoce por meio de exames periódicos e autoexame das mamas.

O que é o Câncer de Mama?

O câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres, estimando cerca de 56 casos a cada 100 mil mulheres. Em 2018, por exemplo, foram calculados mais de 59 mil casos novos deste tipo de câncer.

No entanto, embora seja mais comum entre mulheres em todo o mundo, os seres humanos podem desenvolver este câncer, inclusive os homens. No entanto, ainda é considerado um caso raro, com menos de 1% dos casos.

Isso porque, nesta doença, ocorre um desenvolvimento anormal – e desenfreado – das células da mama, que multiplicam-se repetidamente até formarem um tumor maligno. Então, quando diagnosticado no estágio inicial, ele responde melhor ao tratamento, aumentando a chance de cura.

Como o câncer de mama acontece?

Ainda não há uma causa especifica, mas alguns especialistas listam os principais fatores de riscos, que podem acarretar no desenvolvimento deste tipo de câncer.

Saiba quais são a seguir:

  • Ser mulher;
  • Acima dos 50 anos há mais riscos;
  • Histórico familiar;
  • Não ter filhos, ou ter filhos depois dos 30 anos;
  • Elevado consumo de álcool;
  • Excesso de peso;
  • Mulheres que começam a menstruar mais cedo;

Sintomas frequentes

Diferente do que muitos pensam, não é uma dor nos seios que diz que algo está errado. Claro que dores não são normais, mas é importante que todos vão ao médico regularmente para fazer um “check up”.

Confira os sintomas mais frequentes do câncer de mama:

  • Caroço nas axilas;
  • Secreções nos mamilos;
  • Irregularidades nos mamilos (vermelhidão, descamação ou inversão);
  • Dores no mamilo;
  • Irritação da pele ou irregularidades na pele (covinhas ou aspecto poroso).

Apresentando qualquer um desses sintomas, é importante ir ao médico e fazer todos os exames necessários.

Como é feito o diagnóstico e exames?

É importante fazer exames periódicos a cada 6 meses ou um ano, dependendo da sua idade e pré-disposição à doença de acordo com os fatores de risco mencionados acima.

Além disso, esteja sempre atento à nódulos suspeitos que surjam nas mamas. Eles são ótimos indicativos sobre a possibilidade de câncer de mama.

Inclusive, recomendá-se que mulheres acima de 20 anos devem fazer o autoexame todo mês, após o fim do período menstrual. Isso porque, aproximadamente, 80% dos tumores são descobertos por elas ao apalpar as mamas.

É aconselhável também a realização de exames clínicos principalmente em mulheres acima de 40 anos. Mas pode acontecer em qualquer idade. Os exames solicitados pelos ginecologistas após encontrar nódulos nas regiões da mama são:

  • Mamografia: Para confirmar a presença de nódulos;
  • Ultrassonografia: quando não é possível distinguir o cisto do nódulo na mamografia;
  • Biópsia: Para analisar se o nódulo é maligno ou benigno;
  • Ressonância Magnética: Para analisar melhor canceres encontrados por mamografias, transformando os resultados em imagens.

Prevenções

É importante tomar alguns cuidados durante toda a vida, no entanto, há alguns cuidados específicos que se deve tomar, principalmente, na fase fértil ou na menopausa.

Por exemplo:

  • Possuir uma alimentação equilibrada, evitando alimentos com gordura animal e dando preferência para verduras ricas em antiproliferativos, como o brócolis;
  • Realizar exercícios regularmente;
  • Amamentar por um longo período, quando tiver filhos;
  • Realizar reposição hormonal, sob orientação médica, quando entrar na menopausa.

Mulheres com alto risco de desenvolver o câncer de mama ou com histórico familiar podem escolher a fazer a mastectomia profilática, ou seja, a remoção cirúrgica das mamas, antes do possível aparecimento do câncer.

E não mais importante, 95% dos casos do câncer de mama tem chance de cura se detectado no começo.

A Campanha do Outubro Rosa

Tudo se iniciou na cidade de Nova Iorque, em 1990, quando o laço cor-de-rosa foi lançado pela fundação Susan G. Komen for the Cure. Os laços rosas foram distribuídos pela primeira vez aos participantes que estavam na primeira Corrida pela Cura. E, desde então, a Campanha do Outubro Rosa é promovida anualmente na cidade.

Já no Brasil, a primeira iniciativa ocorreu em 2002, quando o monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, também conhecido como o Obelisco do Ibirapuera, foi iluminado de rosa. A iniciativa foi feita por um grupo de mulheres simpatizantes à causa do câncer de mama.

Em 2008, as ações começaram a ficar mais fortes por conta das ações que o Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama começaram a realizar. E, em seguida, outras entidades em apoio à causa, começaram a iluminar monumentos e prédios de suas cidades. Em 2009, as ações relativas ao mês e campanha Outubro Rosa se multiplicaram.

O objetivo sempre foi conscientizar sobre os cuidados e prevenção da doença. Neste ano, por exemplo a campanha lançada pelo INCA e o Ministério da Saúde reforça três pilares estratégicos no controle da doença: prevenção primária, detecção precoce e mamografia.

É importante enfatizar que os cuidados sobre o câncer de mama devem ser divulgados não apenas em outubro, mas ao longo do ano inteiro. Afinal, tem que ser uma preocupação permanente de cada indivíduo. E, justamente por este motivo, o slogan da campanha de 2019 é “Cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela”.

Compartilhe este post:

Postado Por: SOC

SOC